Comportamento

Como educar um gato: 6 fatores que melhoram o estresse e o comportamento

Educar um gato não é tarefa fácil se não souber como fazê-lo. Neste artigo explicamos os pontos-chave sobre como educar um gato, para melhorar o comportamento do felino de forma clara e consistente. Informações extremamente importantes durante uma consulta de rotina e que podem ser passadas aos tutores para reduzir o estresse dos felinos.
Depois de tomar a decisão de adotar ou comprar um gato, o passo seguinte será o de escolher o melhor alimento para ele assim como educa-lo corretamente. Um gato com mau comportamento pode se tornar um verdadeiro problema para a vida familiar.

Um fator a considerar é o de que o comportamento de um gato está diretamente relacionado com o seu grau de estresse. Quanto maiores os níveis de estresse, mais difícil será controlar o comportamento do animal.

Se conseguirmos que os níveis de estresse do animal sejam mínimos, o gato terá um bom comportamento. Todas as variações que sucedam no ambiente em que o gato habita podem aumentar o seu estresse, podendo até chegar a causar doenças do sistema urinário, como a DTUIF.

Importância das modificações no meio envolvente para o controle do comportamento do gato

Primeiramente, o mais adequado será explicar ao tutor o que consiste a modificação do ambiente no qual o gato vive. Tratam-se de modificações do meio em que o gato habita, cujo objetivo é o de diminuir o grau de estresse do animal, para melhorar o seu comportamento e a sua qualidade de vida (Buffington 2006). Também são conhecidas como intervenções MEMO (multimodal environmental modifications).

A modificação do ambiente do gato assenta em 6 pontos-chave para melhorar o comportamento do gato, através da redução do estresse.

Como treinar um gato? Pontos-chave

1. Contato social. O gato deverá ter liberdade para escolher entre brincar com outros animais, interagir com humanos ou estar sozinho.

2. Colocar diferentes recipientes com alimento e água frescos: a água e o alimento deverão ser colocados a uma certa distância da caixa de granulado sanitário. Será necessário escolher lugares tranquilos para que o gato possa comer sem interrupções indesejadas. O alimento e a água devem ser renovados com frequência.

3. Proporcionar ao gato uma zona de descanso elevada, situada num lugar da casa tranquilo e isolado. Os melhores locais para instalar a zona de descanso são aqueles que se encontram resguardados de correntes de ar.

4. Limpar com frequência a caixa de granulado sanitário. O granulado deve ser remexido e seus resíduos removidos diariamente. Uma vez por semana deverá ser feita uma limpeza mais profunda.

5. Alternar os brinquedos, para que o animal vá encontrado novidades. Instalar um arranhador também é uma boa ideia.

6. O gato deverá ter liberdade para se mover à vontade, para trepar e para explorar o seu meio envolvente. Também é importante que o animal disponha de esconderijos e escapatórias.

Tal como poderá verificar, são ideias bastante simples a serem passadas para o tutor pôr em prática. Não serão necessárias grandes mudanças na casa do tutor, mas apenas pequenas modificações que tornarão mais confortável a vida dele e do gato. Fazendo com que o tutor e sua família convivam em harmonia com o gato.

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

Relacionados