/

Como cuidar da saúde do seu pet em cada fase de vida?

Independente da fase de vida, todos os pets devem ser avaliados periodicamente por um médico-veterinário, com vacinação e vermifugação atualizados. Além disso, manter uma alimentação balanceada, de qualidade e adequada para o porte e a fase de vida do pet é essencial para uma vida mais longa e saudável. Você quer saber como cuidar da saúde do seu pet em cada fase de vida? Continue lendo o texto!

Filhote

A chegada de um filhotinho de cão ou gato na família é, com certeza, um momento muito especial, cercado de muito amor e felicidade. Junto a esse mundo de novidades, muitas dúvidas e preocupações também aparecem. Entre as mais comuns temos: 

Adaptações à nova família e rotina

Cuidados com a saúde, incluindo vacinação e vermifugação

Passeios e banhos

Alimentação adequada

Os filhotes de cães não crescem de maneira igual e sua taxa de crescimento varia de acordo com seu porte. Lembrando que os cães podem ser divididos, de maneira geral, em três portes de acordo o peso que atingem na vida adulta: porte mini são os cães que chegam até 5 kg; porte pequeno, até 10  kg; porte médio, entre  11 e 25 kg; porte grande, entre 26 e 45 kg, e o porte gigante, acima de 46 kg. Sendo assim, um filhote do porte mini pode ser considerado filhote até os 10 meses de idade, os pequenos e médios até os 12 meses, os grandes entre 15 e 18 meses, e o gigante até pelo menos 18 meses. Então, dizemos que os filhotes de cães de raças pequenas crescem mais rápido do que os filhotes de cães de raças grandes e, por isso, se tornam adultos mais cedo! Já os gatinhos apresentam um crescimento mais contínuo e linear, recebendo o alimento para filhotes até 12 meses de idade normalmente.

É importante que, durante a fase de crescimento, os pets recebam alimentos indicados para filhotes, pois necessitam de energia e nutrientes em maiores quantidades, quando comparados com os alimentos indicados para adultos, para que desenvolvam sua estrutura óssea e completem seu desenvolvimento muscular de maneira correta. Mas cuidado: o excesso de alimento pode levar à obesidade e, em cães de raças grandes e gigantes, também pode causar distúrbios musculoesqueléticos. Assim, o fornecimento de orientações precisas de alimentação é essencial para evitar o excesso ou a falta de nutrientes nessa fase importante da vida dos pets. Também fica mais fácil entender que, para identificar o melhor momento de alterar a dieta do pet, é necessário verificar sua idade. Além disso, para cão é importante ter uma ideia do peso corporal quando adulto, a fim de identificar o porte e escolher o alimento mais adequado às suas necessidades.

Adulto

Em relação aos cuidados gerais, cães adultos devem realizar check-ups anuais, nos quais devemos realizar, além da avaliação física, a atualização das vacinas e da vermifugação. Quando pensamos em alimentação, pets adultos apresentam necessidades menores quando comparados aos filhotes, pois estão em fase de manutenção. Apesar de não haver recomendações diferentes de nutrientes por portes, a necessidade de energia é diferente, além do uso de ingredientes funcionais que auxiliam nas características comuns de cada porte. Dessa forma, o uso de alimentos, específicos é recomendado para que os benefícios de uma nutrição adequada possam contribuir para uma melhor qualidade de vida.

Sênior

Envelhecer é um processo natural e faz parte da vida de todo ser vivo, incluindo dos nossos pets. Apesar disso, muitos tutores ainda acham que ser um animal idoso é sinônimo de doença ou de contraindicações, o que não é verdadeiro. Porém, assim como em humanos, a senilidade dos gatos é uma fase que inspira maiores cuidados devido a se tornarem mais sensíveis e predispostos a doenças, como as inflamações das articulações, bastante comuns nessa idade. Sendo assim, a realização de check-ups deve ocorrer de maneira mais frequente, de acordo com a orientação do médico-veterinário que acompanha o gatinho, além da atualização das vacinas e vermifugação. 

Entre os cuidados importantes para o gatinho idoso, podemos destacar a escolha de um alimento adequado para essa fase de vida, para atender de maneira adequada às necessidades nutricionais.

Nessa fase, cães e gatos apresentam necessidades e mudanças diferentes. Enquanto nos cães notamos redução da necessidade de energia e maior sensibilidade nas articulações e comprometimento da funcionalidade dental, os gatos apresentam uma diminuição no metabolismo e na capacidade de absorver nutrientes, ou seja, precisam de menos energia e alimentos de melhor absorção. Por isso, quando observamos um gatinho idoso, muitas vezes achamos que ele perdeu peso, mas, na verdade, ele está perdendo massa muscular. Isso explica a importância da escolha de um alimento de qualidade e adequado para essa fase de vida. Além disso, é comum que os gatos diminuam seu apetite, o que contribui ainda mais para a perda da massa muscular. 

Outras alterações que podemos observar ainda nessa fase é o aparecimento de alguns incômodos e problemas em articulares, além de uma maior fragilidade do sistema imune, sendo mais predispostos a doenças em geral, semelhante ao que ocorre nos humanos idosos.

Essa fase de vida inicia-se a partir dos 7 anos para cães dos portes minis, pequenos e médios. Já nos grandes e gigantes, essa fase é considerada a partir dos 5 anos. Gatos seguem os cães pequenos e por isso também iniciam a partir dos 7 anos.  

Por isso, é importante que nessa fase também se utilize um alimento adequado para que todas as necessidades e características sejam atendidas.

Relacionados

Minha gata simplesmente amou

Sem transgênicos, corantes e conservantes artificiais, ainda cuida do trato urinário. Minha gata simplesmente amou, ela prefere a ração do que sachês. por Lúcia